As procuradoras municipais aposentadas de Porto Alegre e mediadoras da Câmara de Conciliação e Mediação do município Ana Luisa Carvalho e Cláudia Padaratz foram entrevistadas pela Revista Documentos (Acuerdo Justo), da Espanha. O tema da conversa foi o pioneirismo da Capital gaúcha ao implantar, no Brasil, uma das primeiras Câmaras de Mediação na administração pública.

Em setembro, Ana Luisa e Cláudia participaram da segunda edição do curso Mediar OnLine, organizado e ministrado pelos professores espanhóis Andrés Vásquez e Franco Conforti e coordenado pela advogada gaúcha Ana Luiza Etchalus. Durante uma conversa online com os docentes, Cláudia comentou sobre a Câmara de Mediação, criada em 2016 em Porto Alegre. A modalidade de procedimento consensual que não existe na administração pública da Espanha.

A Revista Documentos (Acuerdo Justo) é uma publicação que convida os operadores de conflitos a compartilhar suas experiências. Na entrevista de mais de 10 páginas, as procuradoras aposentadas falaram das motivações para a criação da Câmara, do ineditismo da iniciativa e de procedimentos técnicos, entre outros pontos. “Tenho muita satisfação de ter participado, desde o início, da implantação da Central de Conciliação do  município de Porto Alegre, através da Lei n. 12.003, que  introduziu essa importante  ferramenta não adversarial no árido terreno da administração pública. Importante destacar que o projeto de implantação da Central, em 2016,  partiu da visão vanguardista da Procuradora-Geral à época dra. Cristiane Nery, que não mediu esforços para que Porto Alegre protagonizasse essa importante via de aperfeiçoamento e qualificação dos princípios da eficiência e do interesse público, fundantes da administração pública”, comenta Cláudia. “Falar sobre a pioneira implantação da Câmara de Mediação e Conciliação em Porto Alegre foi uma oportunidade para divulgar a aplicação das técnicas da mediação no âmbito da Administração Pública e o relevante trabalho que vem sendo desenvolvido pela Central de Conciliações com a inserção destas ferramentas de solução de litígios que, certamente, qualificarão cada vez mais a atuação da gestão pública, imprimindo agilidade, eficiência, economia, alargando o espaço de participação de uma cidadania ativa”, acrescenta Ana Luisa.

Confira a entrevista completa à publicação espanhola neste link: https://www.flipsnack.com/emediador/mediaci-n-administrativa-brasil.html